Equipamentos do Sistema Grid-tie

A maior parte dos equipamentos utilizados ainda é importada, dentre eles:

 

Módulos ou Painéis Fotovoltaicos, que captam a radiação solar e fazem sua conversão direta em energia elétrica (Energia Fotovoltaica). Os painéis podem ser Cristalinos (90% das vendas em 2011) ou de Filme Fino (thin film) e sempre produzem corrente contínua. O principal critério de escolha entre os tipos é o preço, sendo que o Filme Fino ocupa uma área até 50% maior, mas pode ter alguma vantagem em condições de radiação difusa (dias nublados) e em dias muito quentes.

 

Inversores Grid-Tie, ou de conexão a rede, são responsáveis pela conversão da corrente contínua produzida pelos painéis em corrente alternada em sincronia com a rede elétrica. Podem ser inversores centrais (vários painéis são ligados a um inversor) ou microinversores - mais recentes (para cada painel utiliza-se um inversor).

No Brasil, as tensões previstas no PRODIST (Procedimentos de Distribuição de Energia Elétrica no Sistema Elétrico Nacional) são as listadas a seguir, em Vca:

127/220, 220/380, 127/254, 220/440, 120/208, 115/230, 120/240, 110/220.

O sistema fotovoltaico pode ser monofásico até 10 kW. Acima dessa potência, deverá ser obrigatoriamente trifásico. Como muitos inversores foram desenvolvidos para outros mercados, é imprescindível consultar os manuais ou o próprio fabricante para determinar a compatibilidade.

 

Estrutura para os painéis (ou sistemas de montagem) é normalmente em alumínio e aço, fixadas sobre o telhado ou cobertura do local. Os painéis são montados e fixados nesta estrutura.

 

Cabeamento e conectores são específicos para sistemas fotovoltaicos e usados para as conexões entre os painéis e inversores (lado CC) e também entre os inversores e a rede elétrica (lado AC). Devem ser resistentes a radiação ultravioleta e intempéries além de suportar temperaturas elevadas, típicas neste sistema. Os cabos tem seção de 4mm2 ou 6mm2 e os conectores seguem o padrão conhecido como MC4.